27 de dezembro de 2009

EMPRESAS DE RH

Meu intuito não é fazer propaganda de empresas de recursos humanos, meu objetivo e te ajudar a conseguir um emprego, afinal este é o melhor momento de enviar um currílo para uma possível oportunidade.
.
Segue algumas empresas para que possa cadastrar ou enviar seu currículo.
.
Sucesso!
.

APTIDÃO

.
Não contrata estagiários. Para emprego, levar currículo direto na empresa no endereço: SCS Q. 02, Bloco"B", Sobreloja 10,Ed. Palácio do Comércio ,somente ás segundas pela manhã TEL:3225-3321/ 3226-3468.
.
APTIDÃO
.
Recebe currículo direto na empresa no endereço SRTVS Quadra 701 – Edifício Palácio do Rádio II Conj. 707 Asa Sul Cep: 70.340-902 ou pelo E-mail: psicotalentos@superig.com.br Tel: 3225-6571.
.
ADECCO RECURSOS HUMANOS LTDA
.
Recebe currículo direto na empresa no endereço:SCRN 706/707,Bloco "E",Entrada 12, Loja 18 Cep: 70.740-650 (próximo ao CEUB) nos dias de segunda e terça das 8:00 ás 12:00 Horas. Aceita todos os cursos. TEL:3272-2454/ 3447-7613.
.
QUALITY ASSESSORIA
.
Recebe currículo direto na empresa no endereço: QSA 11, Lote 13, Ed.Torre Cristal, 1º andar Cep: 72.015-100 no horário comercial de segunda a sexta, ou pelo E-mail ( rh@quality.com.br). Todos os cursos.
.
INTELIJOB
.
Recebe currículo direto na empresa de segunda a sexta das 09:00 ás 12:00 no endereço: SIA trecho 03,Lote 1310/20, Sala 214/220.Ed.Centro empresarial Taya Cep: 71.200-030 ou pelo E-mail: ( job@consultoriarh.com.br), Site: (www.consultoriarh.com.br). Todos os cursos. TEL: 3233-0734/ 3233-9362.
.
IEL
.
Faz cadastro de aluno de qualquer curso para emprego ou para estágio direto na empresa no endereço:SCN Q.01, Bloco "E",Ed.Central Park, Térreo.Para fazer o cadastro, os alunos devem levar : A declaração de escolaridade , o CPF e o RG.
TEL: 3327-2120/ 3327-2060
.
CIEE
.
Faz cadastro de aluno para emprego ou para estágio direto na empresa no endereço: SCS Q.07 , Bloco "A" , Sala 1008, Torre Pátio Brasil Shopping. Para fazer o cadastro, os alunos devem levar: A declaração de escolaridade, o CPF e o RG. ou pelo Site ( www.ciee.org.br). TEL:21028850.
.
CATHO
.
Recebe currículo somente por E-mail (cathobrasilia@catho.com.br). O endereço da empresa é SAS Q.01, Bloco "M", Ed. Libertas, Sala 508/509, Cep: 70.070-010. Aceita todos os cursos.TEL: 322-5352.
.
INSIGHT
.
Recebe currículo por E-mail (INSIGHT@INSIGHT-CONSULTORES.COM.BR), ou direto na empresa no endereço:SHCGN 710/711, Bloco "D", Loja 05 de segunda as sexta no horário comercial. TEL: 3347-6866. Aceita todos os cursos. Site( www.insight-consultores.com.br)
.
LABOR
.
Recebe currículo direto na empresa toda terça–feira das 08:00 ás 11:00 e das 14:30 ás 17:00 Horas, no endereço: SRTVS Q. 701 Centro Empresarial Assis Chateaubriand, Loja 12´ Cep: 70.340-000. Todos os cursos. TEL: 3321-7440.
.
EFICÁCIA TALENTOS
.
Recebe currículo pelo E-mail (eficaciatalentos@terra.com.br), ou direto na empresa no endereço :SRTVS Q. 701,Bloco "1" Sala 117, Ed. Centro Empresarial Assis Chateaubriand Cep: 70.000-000. de segunda a sexta no horário comercial. TEL:3964-5077
.
SPOT
.
Recebe currículo direto na empresa no horário comercial, no endereço:SHCGN 702/703, Bloco"C", Loja 50 Subsolo Cep: 70.710-750, ou pelo Site(www.spot.com.br ) ou (www.spot.com.br/stag). TEL: 3263101. Todos os cursos.
.
GELRE

.
Recebe currículo direto na empresa no endereço: SCS Q. 01, Bloco "M", Sala 807/810, Ed. Gilberto Salomão Cep: 70.305-900, de segunda a sexta das 09:00 ás 18:00 Horas, ou pelo (gerenciabrasilia@ gelre.com.br) ou (www.gelre.com.br). Aceita todos os cursos. TEL: 3224-4621.
.
APEC
.
Recebe currículo direto na empresa no endereço: QR 303 - Cj. 01 - Lt. 03 Samambaia Sul Cep: 72.300-000. Tel. 3358-8777. De segunda a sexta horário comercial.Todos os cursos.
.
INTELLIJOB
.
Recebe currículo direto na empresa que fica no SIA Trecho 03 Lt 1310 Sl 214 Ed. Taya Cep: 71.200-030, ou pelo site www.consultoriarh.com.br e-mail: job@consultoriarh.com.br Tel: 3233-0734.
.
PARTNER
.
Recebe currículo no Endereço: SCS Qd. 02 – Ed. Ariston – Sala 604 Cep: 70.302-000.
Telefone: 3033-4269 E-mail: partner@partnerbrasilia.com.br
.
SOMA DESENVOLVIMENTO HUMANO
.
Recebe currículo no Endereço: SRTVN Qd. 701 Ed. Centro Empresarial Norte – Bloco B – Conjunto A – Sala 812/816 Cep: 70.710-200. Tel: 328-9523
Site: www.somadesenvolvimento.com.br
e-mail: soma@somadesenvolvimento.com.br
.
PATRHIMÔNIO HUMANO CONSULTORIA
.
Recebe currículo no Endereço: SCN Qd. 01 – Bloco F – Sala 1205/1207 – Ed. América Office Tower Cep: 70.711-000. Telefone: 3328-7433 ou 3328-6640. Site: www.patrhimonio.com.br
E-mail: patrhimonio@patrhimonio.com.br
.
Obs. Sugiro ligar antes para confirmar os dados antes de enviar um e-mail ou até mesmo levar seu currículo no local, algum dado poder ter mudado.

24 de dezembro de 2009

Feliz Natal

Que neste Natal possamos viver o verdadeiro sentido da fé, apesar de ser marketeiro não acredito em "Papai Noel", acredito em Deus, e espero nele que vc possa neste dia viver o sentido da fé e do amor entre irmãos.
Deus abençoe vc e sua família.

O verdadeiro natal cristão!!!


Época de natal é tempo de encantamento. Os cenários lúdicos das decorações natalinas nos fazem sonhar. As árvores repletas de luzes e cada vez maiores, o Papai Noel presente em todos os lugares, nos levam a entrar de vez no espírito natalino. A correria às lojas, quase sempre de última hora, para a compra dos presentes de natal já é uma tradição, que se torna, a cada ano, mais enraizada em nossa cultura. Afinal, é natal.
.

Mas, em meio a tantos apelos nada religiosos, muitas vezes, acabamos por deixar para trás o verdadeiro sentido do natal. As decorações belíssimas dos locais públicos que nos deslumbram, deixam de lado o presépio. Dificilmente o encontramos. Até mesmo em lares católicos a tradição de montar o presépio já está se perdendo. A representação do nascimento de Jesus, criada por São Francisco, em 1223, está cada vez menos presente em nosso meio, ao contrário do Papai Noel. Natal é uma festa cristã. Muitos esquecem isso e adotam outros valores. Descuidam da espiritualidade. Para o natal, tudo está preparado: decoração, presentes, ceia. Mas, é necessário nos preparamos para o essencial: o nascimento de Jesus em nosso coração. Não é preciso deixar de enfeitar nossas casas, de nos preparar externamente, mas é imprescindível preparar o coração, com amor, generosidade, perdão e compreensão, para celebrar bem o natal. Esse é o verdadeiro natal cristão.
.
Jesus nasce em nosso meio. E é em uma cidade pequena, em uma família pobre e na humildade de um estábulo que Cristo vem até nós. É nesta pobreza que se manifesta a glória de Deus. A cada ano, temos o privilégio de celebrarmos o amor, que é o que o natal representa. O amor incondicional de Deus por cada um de nós é o que nos revela o natal. Um amor que não só vem até nós, mas que nos eleva, fazendo-nos participar dele. Um amor que deve ser partilhado com todos e por todos, especialmente neste tempo de festa. Crentes e não crentes podem e devem se deixar contagiar pela alegria natalina, renovar os bons sentimentos e exercer a generosidade, que costuma se acentuar no natal, e que deve nos acompanhar durante todo o ano. Natal é um desejo de paz, que pode ser concretizado através de nós.
.
Que neste natal, possamos olhar para dentro de nós mesmos e deixar-nos renascer no amor de Deus.
.
Ana Elisa Tartarotti

22 de dezembro de 2009

Dica de leitura



Neste livro, o leitor encontrará propostas objetivas para administrar e potencializar sua imagem de marca pessoal, ampliar seu valor no mercado e construir sua reputação no mundo das marcas.Também encontrará ferramentas, técnicas, dicas e sugestões para que o leitor se aproxime mais dos seus sonhos profissionais.

Ralé com o presidente

21 de dezembro de 2009

Sun Tzu seria um bom homem de negócios?


O livro a Arte da Guerra sempre esteve presente nas discussões sobre estratégia de mercado pelo fato de a expressão Estratégia ter sua origem nas articulações de guerra e migrado para as articulações dos negócios, mas, segundo Gary Gagliardi, A Arte da Guerra, de Sun Tzu, não tratava de guerra, mas de estratégia para a vida em sociedade.

O livro A Arte do Marketing, baseado no livro A Arte da Guerra, é um dos 5 volumes da série em que Gary Gagliardi relaciona Sun Tzu com A Arte das Carreiras Profissionais, A Arte das Vendas, A Arte das Pequenas Empresas e A Arte da Administração de Negócios.

Leitura recomendada para Profissionais de Marketing, Estudantes e Empresários que queiram entender verdadeiramente a Arte da Guerra de Sun Tzu


Leia a entrevista com Gary Gagliardi - A Arte da Guerra.

1 - O que o inspirou a escrever livros que associam a estratégia de guerra a temas de carreira e negócios?

Primeiro, acredito que conhecer a história pode ser útil. Comecei a estudar Sun Tzu depois de abandonar a faculdade, sem objetivo. Como não tinha outras habilidades reais, acabei trabalhando como vendedor. Ao ler Sun Tzu, comecei a ver as vendas sob uma nova perspectiva. Usando suas idéias, me tornei bem-sucedido nas vendas, conseguindo uma promoção a cada oito meses em média, em empresas cada vez maiores, de vendas para gestão de vendas, para gestão de marketing. Em sete anos, já havia criado minha própria empresa de software.

Conforme crescemos, eu queria que minha equipe de vendas entendesse como eu via o desafio de vender, portanto fiz minhas primeiras adaptações de Sun Tzu (A Arte da Guerra para o Guerreiro das Vendas). Depois disso, começamos a crescer dramaticamente, e nos tornamos uma das corporações de mais rápido crescimento dos Estados Unidos de acordo com a Inc. 500. Para minha surpresa, nossos clientes, AT&T, Motorola e revistas, conseguiram cópias do livro e começaram a me convidar para falar sobre Sun Tzu para suas equipes. A partir disso comecei a dar palestras sobre Sun Tzu em eventos da indústria e usar as idéias de Sun Tzu para promover os produtos de software de nossa empresa. Devido a nosso sucesso e dominância no segmento de mercado, revistas como a PC Week fizeram artigos sobre mim e o uso da filosofia de Sun Tzu em minha empresa.

Depois de vender minha empresa de software, corporações e grandes associações continuaram me convidando para palestrar sobre Sun Tzu, e me pediam outros livros aplicando suas idéias na gestão, marketing, carreira e pequenas empresas. Antes de fazer isso, eu queria aprender mais sobre Sun Tzu, comecei a estudar Chinês arcaico (idiomas são uma antiga paixão minha, e eu já havia estudado alguns anos estudando Japonês) e trabalhei por um par de anos na minha premiada tradução do texto e depois em uma série de livros explicando os aspectos do texto e do sistema que não eram facilmente traduzidos. Depois de concluir este trabalho fiz as outras adaptações que as pessoas pediam. O resultado foi uma série completa de livros, dez dos quais receberam prêmios nos últimos quatro anos.

Outra forma de responder sua questão, no entanto, é voltar par ao começo desta história e explicar a conexão entre guerra e negócios. Primeiro, devido ao título do livro (que é uma espécie de tradução errônea), e devido às atitudes modernas em relação à guerra, muitas pessoas não entendem do que se trata o livro de Sun Tzu. Nós associamos guerra com violência, mas o livro não é sobre isso (exceto tangencialmente). O título Chinês, Bing-fa, quer dizer algo como "métodos competitivos". O que nós chamamos de "guerra", Sun Tzu define especificamente como aquilo "que leva à sobrevivência ou destruição, sucesso ou derrota". Em outras palavras, competição. Ao ler Sun Tzu, você não descobrirá nada sobre como as guerras eram lutadas no século 6 AC na China: quais armas eles usavam, as formações as tropas, ou qualquer informação similar que você encontraria em um livro de guerra. O livro de Sun Tzu lida com a única arma que interessa na competição: os trabalhos da mente humana.

O livro deixa claro que, em sua base, toda competição é econômica. O segundo capítulo de Sun Tzu é sobre a economia da competição. Sun Tzu não define o sucesso como vitória, mas como a tarefa muito mais difícil de tornar a vitória rentável. O problema com o conflito é que é caro. A chave para tornar a vitória rentável é encontrar uma forma de ganhar evitando o conflito. Ou como Sun Tzu disse, um general que luta e vence 100 batalhas não é um bom general. Um bom general busca uma forma de vencer sem lugar uma única batalha.

Claro, isto pode levar a enganos, porque nós usamos palavras como "luta" e "batalha", mas estas são somente aproximações do que Sun Tzu escreveu. Como expliquei em muitos trabalhos sobre o tema, a natureza marcial da tradução (inclusive a minha) é um artefato de como as pessoas esperam que a obra seja traduzida. Por exemplo, as palavras "luta", "ataque", "batalha" e "conflito" tem significado muito similar, e nós usamos estas palavras na tradução, e isso pode levar a enganos porque acreditamos que sabemos o que estes termos querem dizer, mas Sun Tzu as define cuidadosamente de formas que normalmente não as usamos. Ataque quer dizer mover-se para um novo território. Batalha quer dizer encontrar-se com o inimigo (ou com um desafio). Ambas são diferentes do conflito, que significa o choque armado. Os caracteres do Chinês arcaico não são parte da linguagem como a conhecemos (substantivos, verbos, adjetivos, etc.). São conceitos gerais, organizados não em frases, mas em algo que se assimila a uma equação matemática (ainda hoje, o Chinês escrito não é um idioma falado, mas um idioma escrito usado de forma comum por pessoas que falam vários idiomas diferentes).

A verdadeira natureza do trabalho de Sun Tzu não só sugere seu uso na competição dos negócios, mas de certa forma demanda isso.

Fonte: site O Gerente

20 de dezembro de 2009

Liçao definitiva de Liderança

Esvazie a mala


Pessoas que não conseguem desapegar-se das coisas que acumulam na vida deixam de aproveita-la porque não conseguem livrar-se de suas pesadas bagagens.
Em minhas viagens, costumo encontrar muitas pessoas que não curtem a jornada porque estão preocupadas demais com sua imensa bagagem.

O mesmo acontece com as pessoas que não conseguem desapegar-se das coisas que acumulam na vida: bens, cargos, posições e até mesmo relacionamentos. Elas, com freqüência, deixam de aproveitar a vida porque não conseguem livrar-se de suas pesadas bagagens.
A ruptura de um relacionamento, por exemplo, não é nada fácil, embora em geral, no começo da relação, tudo seja muito simples e gostoso. Estamos, normalmente, tomados pelo delicioso anestésico da paixão. Lidar com o fim de uma relação, porém, é coisa que poucos sabem – embora todos nós possamos aprender.
A melhor história de desapego que conheço aconteceu com um casal de amigos meus. Certo dia, eles me convidaram para uma festa. Ao chegar, vi que se tratava de uma ocasião especial: decoração caprichada, banda de música, todos os amigos e familiares presentes. Lá pelas tantas, para surpresa geral, o casal anunciou que a festa era em comemoração de sua despedida.
Estavam celebrando o fim de um ciclo de sua vida após dezessete anos de união. Em um discurso, explicaram:
– Para que a planta nasça, é preciso matar a semente. Para que o fruto exista, é preciso morrer a florada. A borboleta só surge com o desaparecimento da lagarta. O ser humano não existe sem o embrião e só vinga com a transformação do óvulo. Estamos morrendo para esse relacionamento, porém sinceramente preocupados e comprometidos em nascer para outros muito melhores, em que possamos doar o máximo de cada um de nós! Por favor, não fiquem tristes com nossa separação porque os amigos do coração nunca se separam.
Eles decidiram separar-se quando perceberam que estavam mais preocupados em anular a alegria um do outro do que em ser felizes. Se, para serem felizes, era importante transformar essa relação, eles dariam esse passo. Até mesmo para manter a amizade.
Que coragem, não?
É muito raro que alguém admita diante do parceiro que está casado por causa do conforto e não tem mais coragem de enfrentar a própria vida.
Se meu casal de amigos insistisse em seu relacionamento, provavelmente acumularia infelicidades e não poderia aproveitar os diversos passarinhos do amor que ainda surgiriam.
Por isso, não tema deixar para trás as coisas que já morreram. Elas são como uma bagagem que não é mais necessária. Somente nossa experiência de vida e nosso desejo de criar uma existência cheia de significado são tesouros leves para carregar.
Roberto Shinyashiki é psiquiatra, palestrante e autor de 12 títulos, entre eles o “Tudo ou Nada” lançado este mês, “Heróis de Verdade”, “Amar pode dar certo”, “O sucesso é ser feliz” e “A carícia essencial”. (www.shinyashiki.com.br)

16 de dezembro de 2009

Você é do tamanho das suas percepções


É incrível como a cada dia que passa essa afirmação se comprova através dos meus treinamentos, palestras, reuniões com empresários, enfim, é fato o sucesso pessoal e profissional está totalmente ligado a maneira como você percebe os fatos a sua volta.

Existe uma premissa no coaching que diz o seguinte: É nossa crença sobre os eventos, mais que os eventos em si próprios que determinam quão bem nos sentimos e comportamos. Ou seja, nossas reações são totalmente direcionadas pela maneira como encaramos os acontecimentos. A forma como eu percebo as situações é o combustível para as minhas atitudes e comportamentos.

Existe um caminho para determinadas reações, vamos compreendê-lo:

Pensamento = Emoções = Atitudes = Comportamentos = Resultados

Ou seja:

O nosso pensamento gera uma emoção. As emoções determinam nossas atitudes. Nossas atitudes (intenção – querer fazer) se traduzem em comportametos (ação – fazer) que por sua vez geram nossos resultados.

O mais interessante é que os resultados, na maioria das vezes, são sabotados pelas nossas atitudes, ou seja, se a atitude é a intenção, é o querer fazer, é fato que nossos comportamentos, ou seja, nossas ações, por mais que eu tente mascarar, determinarão os resultados. Se eu quero verdadeiramente fazer algo, a probabilidade das minhas ações serem positivas será muito maior, porém, se eu não quero fazer algo, por mais que eu me esforce muito, os resultados não serão os mehores possíveis, pois muitas interferências aparecerão no caminho.

É preciso compreender que não fazemos absolutamente nada sem que o nosso pensamento determine. Portanto precisamos entender como o nosso pensamento é gerado:

Nosso pensamento é composto por dois elemetos – Crenças e Valores. Nossas crenças, ou seja, aquilo em que eu acredito sobre a vida, sobre as pessoas, sobre mim mesmo determinam nossos valores, ou seja, aquilo que é importante pra mim, aquilo que eu não abro mão, aquilo que me motiva. Nós vamos adquirindo valores ao longo da vida, pois vamos acreditando que são fundamentais para a nossa existência, ou seja, as experiências da vida nos fazem acreditar em Deus, portanto a religião passa a ser um valor importante. Acreditamos que família é algo fundamental para a nossa existência, portanto família torna-se um valor, ou seja, nossas experiências determinam nossas crenças e valores. É fundamental deixar isso muito claro, pois estes dois elementos conduzirão nossas ações.

Portanto chegamos ao título deste artigo. Se as experiências determinam as nossas crenças, que por sua vez nos ajuda a construir nossos valores, tudo provém da percepção dos acontecimentos, ou seja, da maneira como eu lido com as minhas experiências.

Uma pessoas que um dia não teve uma boa experiência ao falar em público, pode perceber esta experiência de duas maneiras:

1. Falar em público é muito difícil, eu não cosigo! Essa percepção desenvolverá uma crença: Não consigo falar em público e isso prejudicará o profissional.
2. O que eu posso aprender com esta situação para que eu tenha sucesso da próxima vez. Este outro modo de enxergar as coisas trará crenças fortalecedoras, pois me fará acreditar que o erro é uma grande oportunidade de aprender.

Muitas pessoas me perguntam se é possível mudar um valor. Sim, é possível. Não só mudar como ao longo da vida inserir novos valores que conduzirão nossas vidas.

Mudar ou adquirir um novo valor depende da sua percepção dos fatos. Alguém que tem a crença de que dinheiro traz poder, um dia alguma experiência mostrou isso a ela. Este valor, poder, somente será mudado quando a pessoa perceber a vida de uma maneira diferente. De repente esta pessoas passou por um tragédia na vida e percebeu que o dinheiro não o ajudou em absolutamente nada. Essa nova experiência proporcionará a ela novos valores e talvez no lugar de poder, ela começa agora a viver para contribuir com outras pessoas.

Precisamos dsafiar as nossas percepções a todo o momento.

Dicas de coaching:

1. Após uma experiência que você considerou negativa em sua vida pergunte-se: O que eu posso tirar de lição disso?

2. Independente da situação que você vivencia hoje, no trabalho, na vida pessoal, nos relacionamentos, questione-se: O que eu posso fazer para fazer deste momento de vida, um momento prazeroso e enriquecedor?

3. Aquele objetivo que você possui, pessoal e profissional, que nunca é concretizado por falta de disciplina, pergunte-se: O que eu posso fazer em pequenos passos para alcançar esta meta? Mudando a percepção de como alcançar, o caminho passa a ser prazeroso e você se sabotará menos.

Lembre-se, você é do tamanho da sua percepção. Muda a sua percepção e você mudará a sua vida.

Encerro este artigo com a frase de um grande coach: Antes de alterar as ações, altere as percepções e as ações acontecerão. Timothy Gallwey.

Transformando problemas em desafios

Quando falamos dos desafios e dos problemas do dia a dia, logo imaginamos uma grande pedra em nosso caminho. Nessas circunstâncias é difícil vê-los como uma oportunidade de aprendizado. É fato que, num primeiro instante, podemos ter a impressão de que tais fatos foram a pior coisa que poderia ter nos acontecido... Sabemos que nenhuma dificuldade é eterna. De alguma forma, sempre haverá alguém que já tenha enfrentado situações semelhantes e que, após as terem assumido e se preparado para as soluções alternativas, lhe foi possível fazer dessa experiência uma lição de vida.

Muitos momentos, quando olhamos para trás, pareciam não ter solução. Mas, hoje, essas histórias fazem parte de nosso currículo de “causas superadas”. Uma vez entendido como equacionar esses problemas, eles vão passar e, como muitos outros, vão nos tornar mais fortes e maduros.

Na vida cotidiana é natural que, diante das surpresas indesejáveis, nossa primeira reação seja a de desviar do caminho ou recuar; assim como lamuriar sobre o ocorrido, entre outras atitudes. Nesses momentos, é mais fácil pensar em abandonar o compromisso ou simplesmente deixar a situação como está... Mas a lição proposta pela vida é a de sempre conquistarmos alguns passos à frente na caminhada que estamos trilhando rumo à maturidade.

Mas como fazer com que um infortúnio se torne uma história de superação?

Um alpinista, ao deparar com um grande paredão, certamente, vê ali uma nova oportunidade de conquista. Se ele não aceitar a responsabilidade de vencer aquele desafio, naquele instante ele próprio já se colocará como um derrotado diante de seu oponente – o rochedo. Então, o montanhista se enche de forças para transformar aquilo que era um problema em um desafio para a sua escalada. No futuro, ao ver outros enfrentando aquele penhasco, ele terá condições de ajudá-los, mostrando-lhes o melhor caminho para alcançar o topo.

Da mesma maneira que os exercícios robustecem nossos músculos, as adversidades nos impulsionam a amadurecer no modo como devemos ver as situações que nos cercam.

Antes de nos anteciparmos, confrontando-nos com os problemas, precisaremos assumir a responsabilidade da situação na qual estamos envolvidos. Para alguns casais, o namoro trouxe um “problema” quando a namorada engravidou; outros se viram perdidos e desamparados ao receber uma carta de demissão... E se formos listar todas as demais situações, certamente, numa delas estaria também aquela em que o internauta se enquadraria. Entretanto, para todas essas situações, o primeiro passo a ser considerado é o de entender as consequências trazidas pelo problema para nossa vida.

Sem culpar pessoas ou acontecimentos, passemos então a considerar as consequências do impasse que estamos enfrentando. A gravidez prematura, por exemplo, vai exigir do casal a reestruturação ou a adequação dos projetos futuros; já no caso de um desemprego, entre muitas novas adaptações, está a readequação de um estilo de vida mais humilde.

Sem parar na dificuldade, busquemos as possíveis soluções ao nosso alcance. Pois assim como o rochedo desafia um alpinista, os nossos problemas permanecerão imóveis até que nos coloquemos em ação para superá-los. Da mesma maneira que o praticante de alpinismo estuda as possibilidades e consequências de sua escalada, assim, devemos fazer com as dificuldades que surgem em nossa vida.

Num primeiro instante, realmente muitos desses desafios podem parecer difíceis de ser encarados. Mas, mesmo que essas adaptações não sejam aquelas que gostaríamos de viver, somente pelo fato de podermos vislumbrar uma nova possibilidade de solução e aceitar aquilo que nos parecia o pior, já nos trará um grande conforto.

A cada etapa surgirão situações que exigirão a nossa decisão e por mais delicadas que estas possam ser, nunca poderemos transferi-las a outras pessoas ou simplesmente abandoná-las para que se resolvam por si.

Antes mesmo de desanimar, acreditemos que maior que o nosso problema é Aquele que criou o universo e todas os seres viventes. Não há problema sem solução. Então, cabe a cada um de nós apresentar as nossas dificuldades e as possíveis soluções nas mãos de Deus. Com certeza, nós nos surpreenderemos com as respostas que, a cada dia, somadas aos nossos próprios esforços, surgirão para a solução deles.
Assuma corajosamente os seus desafios; persista e lembre-se de que tudo concorre para o bem daqueles que muito são amados. Tudo isso será para cada um de nós um momento de aprendizado na escola da vida.


Fonte: Canal de Formações Canção Nova

Para mais formações acesse: www.cancaonova.com.br

9 de dezembro de 2009

RAP DA FELICIDADE