30 de julho de 2010

Dolly ensina como (não) fazer propaganda

Toda vez que vejo uma propaganda desse refrigerante fico imaginando a cena de algum executivo da empresa, que teve uma brilhante ideia: "Se a Coca-Cola conseguiu construir algo tão proprietário no Natal, o que nos impediria de fazer o mesmo com todas as outras ocasiões?" E, com uma grande inspiração, deve ter mandado: "Vamos lançar imediatamente uma nova campanha com músicas sensacionais e muita demonstração de emoção pra datas comemorativas como a Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Pais!". Para quem ainda não viu o resultado, segue abaixo o "filme" que está no ar atualmente (o mesmo do ano passado), homenageando os papais com uma linda canção cheia de rimas (?) e lágrimas.
,

,
Se você se emocionou, dê uma Dolly para o seu pai também. Se não, deixe um comentário aqui no post!

Filosofia para viver hoje

Quais são as tuas crenças? De onde vem seu modo de viver, os princípios que hoje adota para seguir teu caminho? Alguma vez você já parou para pensar sobre os valores que você considera em si e que norteiam sua vida? Ou você é mais um que apenas age a partir deles e nunca parou para pensar sobre suas origens, se são de fato bons ou ruins; se são justos e bem pensados? Pois eu te convido para uma reflexão. Observe em si cada valor que costuma dar o tom de suas atitudes. Qual é a sua crença religiosa? Já parou para pensar se não está seguindo coisas ditas por muitos, mas quem nem sempre são verdades? Dentro de sua máxima inteligência e juízo, já parou para pensar no que o mundo te implantou como regras. Será que não estão colocando filosofias que limitam e podam nossa criatividade e individualidade? Claro que, se vivemos em sociedade, temos de seguir normas de boa convivência, respeitar limites e seguir algumas leis necessárias à regulação de situações que envolvem pessoas, cidades, países, etc.. Mas, daí a ser escravo intelectual de certas coisas que sobrevivem feito fantasmas na nossa sociedade, não me parece a atitude mais inteligente. Analise em si cada vertente de cada pensamento, comportamento ou idéias. Faça uma varredura em sua mente e identifique todos aqueles valores que nossa cultura nos impõe como verdades absolutas como se tivéssemos de seguir sempre a mesma coisa, como se não tivéssemos capacidade de pensar ou imaginar o que pode ou não ser o melhor para cada um de nós. Lembre-se de que você é um ser em evolução e que tem seu livre arbítrio. Dentro de um universo de possibilidades, podemos escolher o que de melhor pode nos compor para formar nossa personalidade única. Então, saiba muito bem identificar se aquilo que está levando consigo, de fato é o melhor dentro da sua linha de desenvolvimento. Se não for, você é livre para buscar e criar a sua filosofia de vida. Não fique preso a sistemas fechados que sufocam a alma. Descubra sua liberdade a partir de quando resolver sonhar. Assim que sua consciência tiver pleno conhecimento de que não há limites para nossa alma, e que o nosso objetivo nesta vida é aprender todos os dias, você verá que existem lições em cada uma das coisas que vivenciamos. O seu conhecimento te libertará! Só poderemos ser senhores de si quando obtivermos controle de si próprio. Só poderemos melhorar a si pelos bons e verdadeiros ensinamentos da vida. Só com a constante sujeição às experiências é que poderemos aprender. Assim que nossa alma se abrir com satisfação para as coisas do mundo, tudo passará a ser um delicioso exercício de aprendizado. As oportunidades de aprender com cada coisa brotarão como que por encanto. Daí você verá que sua melhor filosofia é ser honesto e aberto aos ensinamentos da vida. Logo perceberá que nossa melhor esperteza é ser reto em cada uma de nossas atitudes, pois é assim que poderemos crescer sem acumular culpa ou ter de pagar pelas conseqüências de atos maus pensados ou atitudes inconseqüentes. Assim, cada passo dado será mais um degrau definitivo galgado na sua escalada para se tornar um Ser mais iluminado.
Além de tudo isso, devemos colocar em primeiro lugar Deus em nossas vidas, pois sem ele nada disso alcaçaremos.

12 de julho de 2010

REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DE MARKETING

Após quase cinco anos, o Projeto de Lei que regulamenta o exercício da profissão de marketing recebeu a primeira aprovação na Câmara dos Deputados. O PL 1944/07, de autoria do Deputado Federal Felipe Bornier (PHS-RJ), vinha tentando ser apreciado pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público desde 2008.

O texto, no entanto, deve ainda passar pela Comissão de Finanças e Tributação e pela Comissão de Constituição e Justiça de Cidadania, seguir para discussão no Senado e, finalmente, ser sancionado pelo Presidente da República. A história do Projeto de Lei tem sido motivo divergências nos últimos anos.

Apresentado originalmente em 2005 pelo então Deputado Eduardo Paes, e atual prefeito do Rio de Janeiro, o PL foi publicado no Diário da Câmara dos Deputados no final daquele ano legislativo e ficou parado até o fim de 2006. Desde sua criação, o texto contou com a oposição de alguns parlamentares e gerou polêmica no mercado por igualar o profissional de marketing ao publicitário.

Projeto foi arquivado por um ano

Ainda em 2006, o projeto foi arquivado porque Paes não se candidatou à reeleição e não houve pedido para a reabertura do PL. No ano seguinte, o mesmo texto foi encaminhado à Câmara novamente, pelo Deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO) e recebeu novo processo: 1226/07.

Em agosto daquele ano, o Projeto de Lei 6235/05 foi desarquivado pelo Deputado Wellington Roberto (PR-PB), deixando assim, dois textos iguais a serem aprovados pela Câmara. Somente um ano depois, em setembro de 2007, o Deputado Felipe Bornier (PHS-RJ) apresentou o novo texto 1944/07, que se juntou ao 1226/07. Em outubro do mesmo ano, o antigo 1226/07 foi rejeitado e o novo PL (1944/07) recebeu aprovação para tramitar na Câmara.

O ano de 2008 marcou inúmeras tentativas de votação do PL 1944/07 para ser aprovado na Comissão de Trabalho da Câmara. Um dos fatores que atrasaram o andamento do processo foi a mudança do verbete Nº 2 da Súmula de Jurisprudência da Comissão, que julga a regulamentação de profissões.

PL gerou polêmica entre profissionais

Todos os textos apresentados até então falavam sobre a impossibilidade de outros profissionais exercerem a carreira sem serem diplomados em marketing. A iniciativa obrigou que o projeto não propusesse uma reserva de mercado para um segmento em detrimento de outras profissões com formação idêntica ou equivalente. Esta medida visava garantir o exercício profissional, com os deveres e as responsabilidades estabelecidos.

Fonte: Portal Exame