30 de outubro de 2010

Sua Identidade Digital


Um artigo interessante saiu na revista Veja há pouco tempo. Parece que os headhunters e a área de recursos humanos estão xeretando as páginas pessoais dos candidatos no website Orkut, aquele onde as pessoas procuram por amigos e entram em comunidades virtuais. Segundo alguns dos xeretas, a idéia seria descartar dos processos candidatos que mostrassem aspectos não-desejáveis, como participar de comunidades do tipo “odeio as segunda-feiras”.

Se pararmos para pensar, o artigo revela muito do pensamento empresarial brasileiro e o despreparo da nossa comunidade de executivos para lidar com aspectos sociais da nova realidade tecnológica. E isso ocorre dos dois lados, tanto com os empregados como com os empregadores.

Para o funcionário, é fundamental se lembrar que, depois da vinda da Internet, ele vai deixar uma trilha digital por onde quer vá. Podemos até discutir questões a respeito de privacidade, mas se quisermos ser realistas, precisamos enfrentar o fato que nossa história, nossa vida, vai ficar cada vez mais exposta aos olhos dos outros. Hoje é possível com um nome se entrar na web e descobrir o telefone da pessoa, o endereço e até se conseguir uma foto aérea da casa do sujeito. Experimente entrar com seu próprio nome em um mecanismo de busca como o Google. O Pensando marketing gera 607 resultados, o meu nome mais de 500. Na maioria são artigos que escrevi e entrevistas que dei. Se falei besteira, está ali para sempre, para quem quiser ver. Se fui sábio em minhas colocações, lá estará registrado meu nível de sabedoria.

Na verdade, a Internet simplesmente acelera um fenômeno que é parte da experiência humana. As pessoas sempre foram e continuarão sendo pré-julgadas através de seus pensamentos, suas realizações, suas palavras, seus relacionamentos passados. O jeito é aceitar a situação e imaginar que sua vida hoje é mesmo como morar em uma casa sem cortinas na janela, onde não dá para ficar andando de roupa de baixo pela sala. Se você decidir andar assim, que saiba lidar com as conseqüências. Isso é feito podando-se os aspectos negativos e cuidando dos positivos.

O lado negativo é simples. No próprio Orkut, é comum a gente ver as fotos de identificação dos garotões sem camisa e das meninas em poses sensuais. Algumas comunidades são mesmo bem esquisitas, assim como alguns comentários de amigos que ficam lá para todo mundo ver. Pessoalmente, sou totalmente a favor da privacidade e (como mostrarei a seguir), não acredito que xeretar brincadeiras das pessoas sirva para se qualificar ninguém. Mas não vivemos em um mundo ideal, existe preconceito e se você colocou alguma bobagem no Orkut, alguém vai ver. Não dá para fazer como aquelas celebridades que vivem fazendo escândalos e depois reclamam dos paparazzi. Quem está na chuva é para se molhar.

Evite, portanto, fotos comprometedoras, dados pessoais como endereço ou fotos dos filhos. A ferramenta é até interessante para se encontrar velhos amigos, mas passe a se corresponder por email depois do primeiro contato e apague os comentários pessoais. Se você gosta de discutir assuntos controversos, use um pseudônimo.

Porém, cuidar do lado positivo da sua imagem digital é ainda mais importante. Da mesma forma que acho uma tolice se julgar alguém porque pertence à comunidade dos fãs de novelas, também acredito que pertencer a comunidades “positivas” não queira dizer muita coisa. Basta um clique do mouse, não se exige esforço ou dedicação. Seria fácil criar uma comunidade chamada “adoro minha empresa, sou super motivado e acho os headhunters maravilhosos”.

Uma imagem virtual de substância compreende realizações que demonstrem sua dedicação e inteligência. Certamente artigos que você envie ao www.pensandomarketing.com podem ser uma excelente maneira para você se projetar. Significa que você é uma pessoa que pensa, que pesquisa, que tem capacidade de análise e que não tem medo de verbalizar suas idéias. Entrevistas na imprensa também são ótimas, porque mostram que sua opinião é respeitada e procurada. Há muitas maneiras de se deixar um rastro digital positivo: participação em comitês profissionais, dar uma palestra sobre sua área. O importante é mostrar que você é uma pessoa que vai fundo, com seriedade no que faz.

Mas não vamos nos esquecer do lado dos empregadores. Se vamos usar a Internet para se avaliar candidatos, que se faça direito, através do entendimento das características do meio. O Orkut, por exemplo, é um mau indicador para avaliação de personalidade, valores e principalmente potencial, amplitude de conhecimento e atitude em relação ao trabalho. A razão é que o site é voltado para um lado lúdico, no qual o usuário está em clima de brincadeira. Uma característica do humor é o exagero e a informalidade excessiva. Isso não quer dizer de maneira alguma que a pessoa vá se comportar na empresa da mesma forma que em uma roda de amigos contando piadas. Não é porque alguém participa de uma comunidade “Sou viciado em Jornada nas Estrelas”, que esta pessoa vá faltar no trabalho para ficar assistindo ao Capitão Kirk à tarde. Provavelmente ele vê um episódio por semana.

Outro grande exagero é supor que alguém que “odeia a música do Fantástico” vai trabalhar mal na segunda-feira. A gente não gosta de um monte de coisas nesta vida, mas engole em seco e vai em frente, talvez para uma segunda-feira bem produtiva. Achar que a pessoa é negativa porque satiriza algumas contingências da vida é uma enorme simplificação.

O ser humano é extremamente complexo e subjetivo. A análise do que seja um bom profissional talvez seja uma das tarefas mais complicadas que alguém possa se dispor a fazer. Não existem atalhos ou modelinhos a seguir, apesar de tantos consultores e psicólogos tentarem vender o seu. Nada pode ainda substituir uma boa entrevista (ou várias) e a análise detalhada das conquistas e do pensamento e dos valores do candidato.

O que se requer é um selecionador preparado e dotado de profundo conhecimento sobre a natureza humana. Se ele ou ela forem despreparados, o mais sofisticado dos métodos empregado por ocasião da entrevista de seleção tornar-se-á inócuo e ineficaz. Por isso, previna-se e cuide de sua imagem virtual como você cuida de sua imagem física.

Por: Marcos Dutra

Nenhum comentário: